terça-feira, 15 de abril de 2014

POLICIA DE SENADOR SÁ RECUPERA MAIS UMA MOTO ROUBADA

Neste final de semana em Senador Sá (especificamente em Serrota) foi furtada uma moto Yamaha, placa HXW 3778 cor vermelha.
Conforme o apanhado o acusado, Fábio Pereira de Rocha, natural de Brasilia-DF mas que atualmente reside no distrito citado, se passa por evangélico "com carteirinha e tudo" fez ligação direta no veículo e sorrateiramente, como diz no popular, se mandou na mesma.
O comando de Senador Sá na responsabilidade do Cb Nilson assessorado pelo Cb Charles e Sd Dinarte caíram em campo e na tarde de hoje recuperaram o veículo e prederam o acusado.
Esta equipe vem fazendo um trabalho exemplar, pois os mesmo já recuperaram nestes últimos meses três motos e já estão na pista de outra que foi roubada hoje.
Em conversa com este profissional da Segurança Pública (Cb Nilson)  senti que o mesmo prima pelo amor a profissão, sem desviar o foco que é a segurança do cidadão, mesmo com todas as dificuldades que a carreira exige.
 VITIMA DE BLUSA AMARELA E UM AMIGO

OAB/CE QUER QUE TJ DÊ NOME AOS BOIS DE ADVOGADOS ENVOLVIDOS EM SUPOSTO ESQUEMA

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, regional do Ceará, Valdetário Monteiro, deu entrada, nesta terça-feira, em ofício junto ao Tribunal de Justiça. Ele pede que o TJ informe o nome dos advogados suspeitos de participar de um suposto esquema de facilitação de concessão de habeas corpus durante os plantões da Justiça. O pedido de informação foi formulado pelo presidente, depois de tomar conhecimento, por meio de notícias veiculadas pelos meios de comunicação, das declarações do presidente do Tribunal, Luiz Gerardo Brígido, de que “há elementos que incriminam advogados”, no que chamou de “rede organizada visando à concessão de liminares atípicas”.
Disse Valdetário que “para falar como está falando, o desembargador (presidente) já deve ter os dados concretos”. O dirigente da Ordem afirmou que a “OAB é órgão federal responsável pela apuração e pela punição de advogados que venham a cometer ilícitos”, no que quer acesso a esses dados para abrir procedimentos.

EXTREMA POBREZA, AINDA PERSISTE

Fatores sociais e geográficos melhoram ou pioram o sistema de sobrevivência dos cidadão brasileiros.
Entre os mais desfavorecidos falta instrução, saúde, moradia, justiça social, acesso a terra e insumos para a produção, resumindo, oportunidades.
Desde o governo Lula, vem-se tentando erradicar a pobreza através de várias ações como, bolsa família, bolsa escola, etc, que na realidade são medidas emergenciais e paleativas.
Seguindo esta linha o governo Kilsem tem se esforçado muito correndo atrás de benefícios para nossa população mais pobre, e como exemplo o total empenho para que o projeto minha casa minha vida se expanda ao máximo a população de nossa Uruoca.

Diz o ditado popular que; "Cobra que não anda não apanha sapo mas também não leva pau na cabeça".
No real: Sapo = Benefícios, Pau na cabeça = Criticas construtivas e destrutivas.
Alguns torcedores do contra sem conhecimento de causa dizem que o prefeito é ausente as comunidades, mas mal sabem eles que prefeito de gabinete é aquele que faz aquela politica nojenta do Pão e Circo, Dos Kits segura votos, Dos empregos fantasmas e outros mais que só levam a degradação da sociedade em um todo.
Conheço a luta de nosso gestor em uma busca incansável por benefícios para a população de Uruoca, sem se render as "benemerências" ocasionais, trabalhando e governando de forma transparente, responsável em prol de um desenvolvimento sustentável e não irresponsável.
 Sei que as coisas não são fáceis, não se sai de uma situação de caos do dia para a noite, não tem como agradar a todos, mas quero parabenizar ao prefeito Kilsem pelo seu empenho e tentativa de fazer uma politica séria, visando não à uma meia duzia, mas sim o geral, sem preferencias de cor,  sexo, raça, religião ou partido politico.
Não poderia também deixar de prestar reconhecimento ao Vive Gago, que de Vice só tem o nome, pois todos são testemunhas de sua luta diária, acompanhado de sua esposa, Benedita que além de uma excelente parceira de parlamento é uma pessoa sensível aos problemas das comunidades.




segunda-feira, 14 de abril de 2014

AVISO DE UTILIDADE PÚBLICA

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (CAGECE), avisa aos seus usuários que por motivo de um vazamento na adutora do Jordão aproximadamente na Malhada Grande faltará água, retornando na parte da noite.
Desde já a empresa pede desculpa aos usuários pelo incomodo e informa que já estão sendo tomadas as medidas necessárias para resolver o problema.

Atenciosamente;
Valdeir Gomes Moreira

domingo, 13 de abril de 2014

DOMINGO DE RAMOS

O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus agitando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: "Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas".
Os ramos apresentados pelo povo nos remetem ao sacramento do batismo, por intermédio do qual nos tornamos filhos de Deus e responsáveis pela missão da nossa Igreja. E o ato de levarmos os ramos para casa nos lembra que estamos unidos a Cristo na luta pela salvação do mundo.

A Procissão de Ramos tem como objetivo apresentar a peregrinação que cada cristão realiza sobre a Terra buscando a vida eterna ao lado do Senhor. Esse ato nos faz relembrar que somos peregrinos neste mundo e que o céu é o lugar de onde viemos e para onde devemos voltar.

Por fim, a Santa Missa do Domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a Paixão de Jesus: Sua angústia mortal no Horto das Oliveiras, o Sangue vertido com o suor, o beijo traiçoeiro de Judas, a prisão, os maus-tratos nas mãos dos soldados na casa de Anãs, Caifás; Seu julgamento iníquo diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, Sua condenação, o povo a vociferar “crucifica-o, crucifica-o”; as bofetadas, as humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, a ajuda do homem cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, o diálogo d'Ele com o bom ladrão, Sua morte e sepultura.



MISSA DOMINICAL (13/04/2014)

Primeira Leitura (Is 50,4-7)

Leitura do Livro do Profeta Isaías:
4O Senhor Deus deu-me língua adestrada, para que eu saiba dizer palavras de conforto à pessoa abatida; ele me desperta cada manhã e me excita o ouvido, para prestar atenção como um discípulo. 5O Senhor abriu-me os ouvidos; não lhe resisti nem voltei atrás.
6Ofereci as costas para me baterem e as faces para me arrancarem a barba; não desviei o rosto de bofetões e cusparadas. 7Mas o Senhor Deus é meu Auxiliador, por isso não me deixei abater o ânimo, conservei o rosto impassível como pedra, porque sei que não sairei humilhado.

Segunda Leitura (Fl 2,6-11)

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses:
6Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 7mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz.
9Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. 10Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, 11e toda língua proclame: “Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai.

Anúncio do Evangelho (Mt 27,11-54)

Narrador 1: Paixão de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo Mateus: Naquele tempo, 11Jesus foi posto diante de Pôncio Pilatos, e este o interrogou:
Ass.: “Tu és o rei dos judeus?”
Narrador 1: Jesus declarou:
Pres.: “É como dizes”.
Narrador 1: 12E nada respondeu, quando foi acusado pelos sumos sacerdotes e anciãos. 13Então Pilatos perguntou:
Leitor: “Não estás ouvindo de quanta coisa eles te acusam?”
Narrador 1: 14Mas Jesus não respondeu uma só palavra, e o governador ficou muito impressionado. 15Na festa da Páscoa, o governador costumava soltar o prisioneiro que a multidão quisesse. 16Naquela ocasião, tinham um prisioneiro famoso, chamado Barrabás. 17Então Pilatos perguntou à multidão reunida:
Ass.: “Quem vós quereis que eu solte: Barrabás, ou Jesus, a quem chamam de Cristo?”
Narrador 2: 18Pilatos bem sabia que eles haviam entregado Jesus por inveja.19Enquanto Pilatos estava sentado no tribunal, sua mulher mandou dizer a ele:
Mulher: “Não te envolvas com esse justo, porque esta noite, em sonho, sofri muito por causa dele”.
Narrador 2: 20Porém, os sumos sacerdotes e os anciãos convenceram as multidões para que pedissem Barrabás e que fizessem Jesus morrer. 21O governador tornou a perguntar:
Ass.: “Qual dos dois quereis que eu solte?”
Narrador 2: Eles gritaram:
Ass.: “Barrabás”.
Narrador 2: 22Pilatos perguntou:
Leitor: “Que farei com Jesus, que chamam de Cristo?”
Narrador 2: Todos gritaram:
Ass.: “Seja crucificado!”
Narrador 2: 23Pilatos falou:
Leitor: “Mas, que mal ele fez?”
Narrador 2: Eles, porém, gritaram com mais força:
Ass.: “Seja crucificado!”
Narrador 1: 24Pilatos viu que nada conseguia e que poderia haver uma revolta. Então mandou trazer água, lavou as mãos diante da multidão, e disse:
Leitor: “Eu não sou responsável pelo sangue deste homem. Este é um problema vosso!”
Narrador 1: 25O povo todo respondeu:
Ass.: “Que o sangue dele caia sobre nós e sobre os nossos filhos”.
Narrador 1: 26Então Pilatos soltou Barrabás, mandou flagelar Jesus, e entregou-o para ser crucificado. 27Em seguida, os soldados de Pilatos levaram Jesus ao palácio do governador, e reuniram toda a tropa em volta dele.
Ass.: 28Tiraram sua roupa e o vestiram com um manto vermelho;
Narrador 1: 29depois teceram uma coroa de espinhos, puseram a coroa em sua cabeça, e uma vara em sua mão direita. Então se ajoelharam diante de Jesus e zombaram, dizendo:
Ass.: “Salve, rei dos judeus!”
Narrador 2: 30Cuspiram nele e, pegando uma vara, bateram na sua cabeça.31Depois de zombar dele, tiraram-lhe o manto vermelho e, de novo, o vestiram com suas próprias roupas. Daí o levaram para crucificar. 32Quando saíam, encontraram um homem chamado Simão, da cidade de Cirene, e o obrigaram a carregar a cruz de Jesus. 33E chegaram a um lugar chamado Gólgota, que quer dizer “lugar da caveira”.
Narrador 1: 34Ali deram vinho misturado com fel para Jesus beber. Ele provou, mas não quis beber. 35Depois de o crucificarem, fizeram um sorteio, repartindo entre si as suas vestes. 36E ficaram ali sentados, montando guarda. 37Acima da cabeça de Jesus puseram o motivo da sua condenação:
Ass.: “Este é Jesus, o Rei dos Judeus”.
Narrador 1: 38Com ele também crucificaram dois ladrões, um à direita e outro à esquerda de Jesus. 39As pessoas que passavam por ali o insultavam, balançando a cabeça e dizendo:
Ass.: 40”Tu, que ias destruir o Templo e construí-lo de novo em três dias, salva-te a ti mesmo! Se és o Filho de Deus, desce da cruz!”
Narrador 2: 41Do mesmo modo, os sumos sacerdotes, junto com os mestres da Lei e os anciãos, também zombavam de Jesus:
Ass.: 42”A outros salvou... a si mesmo não pode salvar! É Rei de Israel... Desça agora da cruz! e acreditaremos nele. 43Confiou em Deus; que o livre agora, se é que Deus o ama! Já que ele disse: Eu sou o Filho de Deus”.
Narrador 1: 44Do mesmo modo, também os dois ladrões que foram crucificados com Jesus o insultavam. 45Desde o meio-dia até as três horas da tarde, houve escuridão sobre toda a terra. 46Pelas três horas da tarde, Jesus deu um forte grito:
Pres.: “Eli, Eli, lamá sabactâni?”
Narrador 1: Que quer dizer:
Pres.: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?”
Narrador 1: 47Alguns dos que ali estavam, ouvindo-o, disseram:
Ass.: “Ele está chamando Elias!”
Narrador 1: 48E logo um deles, correndo, pegou uma esponja, ensopou-a em vinagre, colocou-a na ponta de uma vara, e lhe deu para beber. 49Outros, porém, disseram:
Ass.: “Deixa, vamos ver se Elias vem salvá-lo!”
Narrador 1: 50Então Jesus deu outra vez um forte grito e entregou o espírito. (Todos se ajoelham.)
Narrador 2: 51E eis que a cortina do santuário rasgou-se de alto a baixo, em duas partes, a terra tremeu e as pedras se partiram. 52Os túmulos se abriram e muitos corpos dos santos falecidos ressuscitaram! 53Saindo dos túmulos, depois da ressurreição de Jesus, apareceram na Cidade Santa e foram vistos por muitas pessoas. 54O oficial e os soldados que estavam com ele guardando Jesus, ao notarem o terremoto e tudo que havia acontecido, ficaram com muito medo e disseram:
Ass.: “Ele era mesmo Filho de Deus!”

sábado, 12 de abril de 2014

GINCANA EDUCAÇÃO. EDUCAÇÃO NÃO É DESPESA MAS SIM UM INVESTIMENTO COM RETORNO GARANTIDO.


SEM COMENTÁRIOS, ANALISEM VOCÊS MESMOS

ESTE EXEMPLO FAZ SENTIR ORGULHO DE SER URUOQUENSE

ESTES JOVENS ME REPRESENTAM




É galera perdemos a gicana... Mais ganhamos o conhecimento que valera pra todo vida, esses dias de estudo vai valer muito no futuro de cada um de nois... se estudaram muito pq perderam??? o nervosismos toma conta da gente!

" Não há perdedores para aqueles que tiverem uma vontade enorme de vencer".
Guilherme Campos